Cerca de 140 imóveis foram levados a leilão nos primeiros três meses de 2019, somente no estado do Paraná. Pensando nisso, o presidente da Associação Nacional dos Mutuários – Paraná (ANM-PR), Luiz Alberto Copetti, alerta sobre alguns cuidados que devem ser tomados para evitar a perda do bem. 

 

Primeiramente, é preciso lembrar que a compra de um novo imóvel trará custos referentes a mudança, legalização da aquisição e impostos. Isso significa que, ao primeiro sinal de necessidade, o mutuário deve buscar a renegociação com o agente financeiro.

 

Assistência

 

Copetti também chama atenção para a procura de assistência profissional, sobretudo quando o mutuário já está em fase de execução da dívida. Para evitar o leilão, a partir dessa fase, o presidente explica que “só judicialmente o mutuário consegue reverter a situação. Então, procure ajuda imediatamente. Com a terceira [parcela] em atraso, se ele perceber que não está conseguindo pagar, pode procurar a associação, que nós temos especialistas na área para defendê-lo”.

 

Reportagem Intertv

 

O presidente da ANM-PR, Luiz Alberto Copetti, foi entrevistado em matéria da Interteve. Ele forneceu algumas dicas para impedir que o imóvel vá a leilão. Você pode assistir a reportagem completa clicando aqui!

 

Foto: Pixabay