A ANM-PR atua auxiliando no entendimento dos contratos de financiamentos habitacionais realizados junto aos agentes financeiros, tirando dúvidas sobre os problemas mais comuns como: leilão, juros abusivos, amortização negativa, revisão da prestação e saldo devedor, prazo de entrega do imóvel, taxas, má qualidade da obra, entre outras novas situações do mercado imobiliário.

A ANM-PR conta com uma equipe de técnicos especializados nas regras dos financiamentos imobiliários e indica o melhor procedimento de acordo com a situação na qual o mutuário se encontra.

O objetivo da ANM-PR não é estimular os mutuários a entrarem com ações judiciais, mas sim de fazer valer os seus direitos.
Confira as perguntas mais frequentes e esclareça suas dúvidas.

Quais os principais trabalhos realizados pela Associação Nacional dos Mutuários Paraná (ANM-PR) em defesa do mutuário associado?
• Em 1996 começou a batalha para a abertura da filial da ANM, em Curitiba. Até 1999 milhares de processos foram protocolados e vários pedidos formados.
• Em 2000 apoiou a criação de varas especializadas no Sistema Financeiro de Habitação na Justiça Federal, também comemorou com o perdão da dívida dos contratos assinados antes de dezembro de 1987 com FCVS, pela lei 10.150/00, o reconhecimento do contrato de gaveta.
• Em 2001 aprovou a criação da Empresa Gestora de Ativos (Emgea) para realização de acordos, e os novos planos de financiamento SACRE e SAC.
• Em 2002 incentivou e acompanhou os associados nas primeiras audiências de conciliação.
• Em 2003 garantiu sua participação na única audiência pública da habitação na Justiça Federal deCuritiba, garantindo o direito dos mutuários.
• Em 2004 criticou o novo sistema de financiamento imobiliário, o Sistema de Alienação Fiduciária (SFI). Garantia total para os bancos.
• Em 2005 protocolou em Londrina a ação civil pública discutindo (Tabela Prica e TR) para beneficiartodos os mutuários do país.
• Em 2006 criou o “Projeto Copetti” na tentativa de flexibilizar e agilizar os acordos com os bancos e Companhia de Habitação Popular de Curitiba (Cohab). No mesmo ano, a Associação contratou aproximadamente 8 mil associado, pedindo indenização do seguro da casa própria.
• Em 2007 compareceu juntamente com os associados nos mutirões de audiências, nas quais muitos acordos foram firmados.
• Em 2008 estimulou as audiências em todo o estado e participou de todas, defendeu aplicação do código de defesa do consumidor perante os agentes financeiros, protegendo os direitos do consumidor.
• Em 2009 apoiou a criação do projeto “Minha casa, Minha vida”, com proposta do governo de um milhão de casas e criticou o aumento dos imóveis no país.
• Em 2010 o presidente da ANM-PR, Luiz Alberto Copetti, foi nomeado pelo decreto nº 7.709, de 14 de julho de 2010, como membro do Conselho Estadual de Habitação de Interesse Social (COEHIS).
• Em 2011, em demonstração de respeito e defesa dos direitos dos mutuários, a ANM-PR estreitou contatos com o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), questionando quanto aos processos pendentes de solução desde 2008 e são milhões de reais que poderão ser ressarcidos aos mutuários por meio da Justiça.
• Em 2012, atuou junto ao CNJ para agilizar os processos de levantamento de alvará que estavam pendentes na Justiça.
• Em 2013 começou a serem pagos as três primeiras indenizações do seguro habitacional, para reforma dos imóveis.
• Em 2014 a ANM se opôs a MP 633, que pretendia retirar das seguradoras a responsabilidade de pagar indenizações a mutuários do Sistema Financeiro da Habitação (SFH).
• Este ano começou também a liquidação dos processos transitados e julgados, com a devolução de valores cobrados a maior. É proibido cobrar juros antes da entrega das chaves de seu imóvel.